quinta-feira, 10 de março de 2016

Quem ama de verdade faz bem!

Há cinco dias atrás, completei cinco anos de um feliz casamento. Estava pensando em algo para postar aqui, e resolvi falar um pouco de como meu companheiro de estrada me faz bem.

Li um texto muito inspirador sobre isso ontem. Não sei a autoria e nem sei se as informações procedem, mas o texto em questão diz que, se colocarmos um sapo em uma panela com água e levá-la ao fogo, a medida que a temperatura vai subindo, o corpo do sapo vai se adequando, e acontece que, chegando à temperatura máxima que ele pode suportar, ele já está tão cansado, que não não aguenta pular fora e padece ali mesmo. Assim são muitas pessoas que não sabem a hora certa de pular fora de um relacionamento: elas vão morrendo aos pouquinhos e nem se dão conta.

Muitas pessoas se submetem a relacionamentos humilhantes e deprimentes, que literalmente vão sugando sua vida dia após dia, com a idéia de "suportar tudo por amor", quando na verdade, quem ama deve fazer bem, e não causar sofrimento.
Encaixei essa ilustração aqui, porque me lembro que antes de me relacionar com meu esposo, tive um namorado de quem gostava muito. O namoro ia bem e do nada (sim, de uma hora pra outra), ele chega em minha casa terminando tudo, com argumentos totalmente desconvexos. A causa real é que ele estava se envolvendo com outra pessoa, mas como acho que quase nenhum homem assume quando isso acontece, ele me veio com mil motivos, dando a entender que eu era insuficiente pra ele. 

Pois bem, como é de praxe, fique meio derrubada no dia, e de tudo o que ele disse a única coisa que guardei, foi que com minha simplicidade, eu me tornaria "apenas uma dona de casa" (não considero que uma dona de casa seja pouca coisa, mas pra ele era).

Passado pouco tempo, e ele quis voltar. Contrariando meu coração, rejeitei porque a marcante frase não saiu mais da minha cabeça. Estava claro pra mim, que na concepção dele, eu era inferior a ele. Nada me tirava da cabeça que caso avançássemos a um casamento, uma hora ou outra, a "superioridade" dele iria aflorar, e eu queria me casar pra viver um amor, não pra me sentir humilhada.

Na época, eu não tinha um emprego fixo, fazia "um bico" em uma escolinha infantil. Pouco depois, consegui um emprego até bacana em uma pequena empresa. Em 2007, começou a fluir o namoro com quem veio a ser meu esposo. Desde o início (e até hoje, cinco anos após o casamento), sempre foi muito carinhoso comigo, conquistando facilmente meu amor e admiração.

Mas veja a diferença de realidades: quando começamos a namorar, ele trabalhava de vendedor em uma loja do shopping, mas passou em um concurso e passou a prestar serviço para o estado. Ao invés de me olhar de cima, ele me incentivou a também fazer concurso e me convenceu de que se eu passasse, iria para um emprego melhor do que o que eu já tinha. 

Quando abriu um novo edital para o mesmo concurso que ele havia prestado, me inscreveu e me levou pra fazer a prova. Passei com uma boa nota e pouco tempo depois de contratada no novo emprego (no qual estou até hoje), fui promovida e passei a ter um salário melhor.

Nos casamos em 2011 e foi a melhor escolha que já fiz na minha vida. O homem que já era bondoso e cuidadoso comigo, revelou-se uma pessoa ainda melhor! Em agosto de 2014, nasceu nosso príncipe Pedro Miguel, e ele foi super cuidadoso comigo, além de ser muito compreensivo na fase em que o cuidado com  filhotinho me consumia. É um pai super carinhoso e sabe cuidar muito bem do nosso herdeiro. Não foi só na questão do emprego. Ele tem me "erguido" dia após dia em várias questões da minha vida.

Pra resumir, se uma pessoa te despreza por ser quem você é, pule fora, ela não é digna de você! Quem te ama de verdade, te faz bem, te põe pra cima e te torna uma pessoa melhor. Invista seu amor na segunda opção!





4 comentários:

  1. Oi Landa, é a Vi, amei seu texto, e bem real, temos que nos valorizar.
    Ficou muito feliz com historias assim, de pessoas que encontram quem as amem de verdade.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Vi!É sempre bom deixar a razão guiar o coração, não é? Beijo!

      Excluir
  2. Ai que história mais linda Landa !! E que lição de vida !
    Acho que a maioria dos relacionamentos naufragam justamente por isso, as pessoas acabam se adequando, adequando, até o dia que estão tão cansadas e não pulam fora e acabam morrendo... morrendo vivas; ainda bem que vc não voltou pro antigo, porque se ele já se achava, imagina depois que casasse ?

    História linda e inspiradora !!

    Amei.

    Bjus 1000 querida

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Fique a vontade e deixe um comentário.

O Pen Drive

Um espaço onde armazeno coisas interessantes e compartilho o que penso sobre elas.