quinta-feira, 12 de maio de 2016

Frio na Barriga


Toda vez que você me abraça,
Toda vez que você me sorri,

Quando se sente inseguro
E corre pros meus braços com medo.

Meu coração derrete com ternura!

Cada vez que olho para você,
Cada vez que penso em você,

Me dá um frio na barriga...

Então eu vivo com o frio na barriga,
Vivo com o coração derretido
Porque vivo pensando em você! 
Eu vivo te amando, meu filho!



quinta-feira, 10 de março de 2016

Quem ama de verdade faz bem!

Há cinco dias atrás, completei cinco anos de um feliz casamento. Estava pensando em algo para postar aqui, e resolvi falar um pouco de como meu companheiro de estrada me faz bem.

Li um texto muito inspirador sobre isso ontem. Não sei a autoria e nem sei se as informações procedem, mas o texto em questão diz que, se colocarmos um sapo em uma panela com água e levá-la ao fogo, a medida que a temperatura vai subindo, o corpo do sapo vai se adequando, e acontece que, chegando à temperatura máxima que ele pode suportar, ele já está tão cansado, que não não aguenta pular fora e padece ali mesmo. Assim são muitas pessoas que não sabem a hora certa de pular fora de um relacionamento: elas vão morrendo aos pouquinhos e nem se dão conta.

Muitas pessoas se submetem a relacionamentos humilhantes e deprimentes, que literalmente vão sugando sua vida dia após dia, com a idéia de "suportar tudo por amor", quando na verdade, quem ama deve fazer bem, e não causar sofrimento.
Encaixei essa ilustração aqui, porque me lembro que antes de me relacionar com meu esposo, tive um namorado de quem gostava muito. O namoro ia bem e do nada (sim, de uma hora pra outra), ele chega em minha casa terminando tudo, com argumentos totalmente desconvexos. A causa real é que ele estava se envolvendo com outra pessoa, mas como acho que quase nenhum homem assume quando isso acontece, ele me veio com mil motivos, dando a entender que eu era insuficiente pra ele. 

Pois bem, como é de praxe, fique meio derrubada no dia, e de tudo o que ele disse a única coisa que guardei, foi que com minha simplicidade, eu me tornaria "apenas uma dona de casa" (não considero que uma dona de casa seja pouca coisa, mas pra ele era).

Passado pouco tempo, e ele quis voltar. Contrariando meu coração, rejeitei porque a marcante frase não saiu mais da minha cabeça. Estava claro pra mim, que na concepção dele, eu era inferior a ele. Nada me tirava da cabeça que caso avançássemos a um casamento, uma hora ou outra, a "superioridade" dele iria aflorar, e eu queria me casar pra viver um amor, não pra me sentir humilhada.

Na época, eu não tinha um emprego fixo, fazia "um bico" em uma escolinha infantil. Pouco depois, consegui um emprego até bacana em uma pequena empresa. Em 2007, começou a fluir o namoro com quem veio a ser meu esposo. Desde o início (e até hoje, cinco anos após o casamento), sempre foi muito carinhoso comigo, conquistando facilmente meu amor e admiração.

Mas veja a diferença de realidades: quando começamos a namorar, ele trabalhava de vendedor em uma loja do shopping, mas passou em um concurso e passou a prestar serviço para o estado. Ao invés de me olhar de cima, ele me incentivou a também fazer concurso e me convenceu de que se eu passasse, iria para um emprego melhor do que o que eu já tinha. 

Quando abriu um novo edital para o mesmo concurso que ele havia prestado, me inscreveu e me levou pra fazer a prova. Passei com uma boa nota e pouco tempo depois de contratada no novo emprego (no qual estou até hoje), fui promovida e passei a ter um salário melhor.

Nos casamos em 2011 e foi a melhor escolha que já fiz na minha vida. O homem que já era bondoso e cuidadoso comigo, revelou-se uma pessoa ainda melhor! Em agosto de 2014, nasceu nosso príncipe Pedro Miguel, e ele foi super cuidadoso comigo, além de ser muito compreensivo na fase em que o cuidado com  filhotinho me consumia. É um pai super carinhoso e sabe cuidar muito bem do nosso herdeiro. Não foi só na questão do emprego. Ele tem me "erguido" dia após dia em várias questões da minha vida.

Pra resumir, se uma pessoa te despreza por ser quem você é, pule fora, ela não é digna de você! Quem te ama de verdade, te faz bem, te põe pra cima e te torna uma pessoa melhor. Invista seu amor na segunda opção!





sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

A festinha do Pedro Miguel - 1 aninho

Antes que Pedro Miguel complete dois aninhos (rsrs), aqui vão alguns detalhes da festinha.

Na dúvida "fazemos-festa-não-fazemos-festa", o salãozinho que queríamos alugar foi alugado pra outra pessoa, e nos restou a única opção de comemorar uma semana antes da "data querida".

Escolhemos o tema "Baby Disney", e o pacote contratado incluiu o painel, o cenário e o arco de balões, então fiquei na incumbência de providenciar as lembrancinhas e os centrinhos de mesas.

Para os centrinhos de mesas, usei latas de leite. Fiz a arte o Word e imprimi em etiquetas adesivas (dessas encontradas em papelaria mesmo). Como as folhas adesivas são tamanho A4, não dava pra imprimir os rótulos inteiros, então dividi em dois.
 

Comprei pirulitos tipo aqueles do "Chaves", cortei E.V.A no formato da cabeça do Mickey e colei nos pirulitos. Através de um pequeno furo na tampa de cada lata, "finquei" o pirulito e cortei círculos de papel crepom pra embalar as tampas.

E tcha-ran! Olha que fofura:
Dentro das latas, coloquei balas e saquinho pipoquinha doce.


Para as lembrancinhas, eu quis fazer um pouco diferente. Ao invés das tradicionais sacolinhas de balas, resolvi fazer lanchinhos. Comprei achocolatados e pacotinhos de biscoitos.

Comprei saquinhos de TNT já prontos na loja de artigos para festa (azul para meninos e vermelho para meninas). Pra decorar as sacolinhas, fiz  Mickey e Minie de E.V.A. e prendi na fita que fechava as sacolinhas.

 

Fiquei super feliz ao ver que agradou inspirou alguns pais, que posteriormente me contaram que "copiaram" a idéia...

Além das sacolinhas, fiz máscaras que foram entregues a cada criança na chegada da festinha, usando lastex e E.V.A. - Mickey para meninos e Minie para meninas.
(na verdade não foram máscaras, foram só as orelhinhas).
 

 O bolo foi só de um andar,  então para decorar, comprei um isopor para bolo cenográfico e bonequinhos de borracha dos personagens Baby Disney (Mickey, Pateta e Donald - daqueles mordedores). Fiz uns enfeites de E.V.A. e montei um segundo andar.

 Esboço:

Bolo Montado:

Para a mesa de guloseimas, comprei vasinhos num "lojão popular" e  uma boa variedade de balas, pirulitos e outros. Ficou bem sortida.

O aniversariante curtindo a festinha - detalhe: ele é a cópia fiel do meu marido.

De comidinha, além da pipoca e algodão doce (que não poderiam faltar), servimos salgadinhos com refrigerante, pãozinho com molho de carne moída, e um delicioso macarrão com molho de frango, que fez o maior sucesso!

Pra finalizar, eu e o meu rapazinho usando as "máscaras".

Beijo- espero que gostem!

Segundo e Terceiro Chá de Fraldas

Como eu disse no post anterior, depois do chazinho que organizei, a equipe do trabalho do meu esposo nos presenteou com um  Chá de Fraldas muito especial. Como lá o pessoal gosta bastante dele, foi um galerão de gente. Além de capricharem na decoração, olha que coisa mais fofa essas guloseimas personalizadas com o nome do meu príncipe:





Apesar de ter ficado um pouco tímida de participar por não conhecer a maioria das pessoas, fiquei muito feliz com o carinho recebido! 

Bem no finalzinho da gravidez, no último dia de trabalho, antes de entrar de licença, foi a vez dos meus colegas organizarem um (sim, o terceiro)! Como foi surpresa, não levei câmera para registrar...

No final das contas, depois de três chás, foram tantas fraldas e lencinhos umedecidos, que fiquei  até sem espaço pra guardar! Espia só...




quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Primeiro Chá de Fraldas

Olá olá...
Tentando voltar a escrever aqui.
O tempo passou muito rápido e meu filho já está com um ano, repito: um ano!

Bom, não vou fazer um "diário retroativo", mas gostaria de recapitular sobre o(s) Chá(s) de Fraldas e depois, sobre a festinha de um aninho do Pedro Miguel - coloquei chá no plural porque só realizei um, mas acabamos sendo surpreendidos com mais dois chás!

Caminhando para o final da gravidez, fiquei muito desanimada de mexer com essa coisa de Chá. Li vários blogs e sites sobre os prós e contras, pensei, pensei e por muito pouco, não iria fazer. No final acabei resolvendo fazer um pequeno, só com os familiares mais próximos, no salãozinho de festas da minha igreja.

Nada muito elaborado: encomendei pãezinhos de mini cachorro quente na padaria, que foi entregue quase na hora do chá (novinho e macio). Minha mãe, a melhor cozinheira que conheço, fez o molho com tanto capricho, que até quem dizia não gostar de hot dog comeu bastante!

Além de servir cachorro quente com refrigerante e caldo de mandioca, montei uma mesinha com pipoca, torrada, pão de queijo, torta de carne moída, e um chá de frutas deliciosíssimo.


Uma amiga nos presenteou com um bolo delicioso de chocolate & morango, por isso, ao invés de fazer bolo de fraldas, fiz um barquinho de papel cartão e E.V.A, coloquei um cachorrinho de pelúcia e algumas fraldas dentro.



Fiz o nome dele e um desenho em E.V.A e colei balõezinhos em volta de um painel fixo que tem na parede do salão. Para as mesas dos convidados, fiz barquinhos coloridos (também de papel cartão e E.V.A), coloquei balas e pirulitos dentro e cortei TNT azul pra colocar por baixo dos barquinhos, simulando água.


No final, pensei: que bom que decidi fazer o chá, não exatamente pelas fraldas e lenços umedecidos, mas porque foi uma delícia ter família e amigos reunidos!
Deu tudo certo, o pessoal comeu bem e o Pedro ganhou bastante fraldas - depois vou postar a quantidade total que ganhamos.

Beijo-beijo!

O Pen Drive

Um espaço onde armazeno coisas interessantes e compartilho o que penso sobre elas.